Porque votamos na Dilma!

36. Quem tem medo de democracia?

Posted on: outubro 29, 2010

Muita gente bate no peito ao dizer que não vota no PT, por causa das acusações disseminadas pela mídia. Há também os que admitem ter sido um bom governo, mas dizem temer supostos atentados contra a democracia. Aos que se identificam com esses casos, proponho uma reflexão sobre uma importante instituição do sistema político e judicial brasileiro, o Ministério Público da União (MPU).

Quando entrei no MPU como estagiária em 2005, não imaginava encontrar, em uma instituição em que seus membros recebem quase 20 mil reais desde que ingressam, um ambiente de aprovação ao governo do PT. Afinal, boa parte dos meus amigos de colégio festeja quando o Lula comete um erro de Português, colegas de cursinho babam de rir quando um professor faz piada com o cabelo da Dilma e todos os outros meios de elite econômica que frequento também torcem o nariz quando alguém fala bem do governo do PT. Não é difícil entender porque no MPU o quadro era diferente.

O cargo mais alto da instituição, o de Procurador Geral da República (PGR), é ocupado por meio de nomeação do Presidente da República. Apesar de tal previsão legal, os membros do MPU realizam uma eleição interna e indicam ao Presidente aquele Procurador que entendem mais adequado para o exercício do cargo.

O respeito a essa eleição realizada pelos Procuradores de todo o Brasil é, obviamente, indispensável para que o PGR possa desempenhar suas funções com independência, dentre elas, a promoção da ação direta de inconstitucionalidade e das ações penais para denunciar autoridades como deputados federais, senadores, ministros de Estado e o próprio Presidente da República. Sem um PGR desatrelado do Presidente, a independência de todo o MPU fica comprometida e, consequentemente, suas funções investigatórias e processuais em matéria tributária, financeira, criminal e tantas outras deixam de ter o alcance que a democracia exige.

Felizmente, entre 2004 e 2010, já tivemos três diferentes PGRs, Cláudio Fonteles, Antonio Fernando e Roberto Santos, nomeados por Lula, sempre observando o resultado da votação realizada pelos demais membros do MPU. Infelizmente, entre 1995 e 2003, tivemos um único PGR, Geraldo Brindeiro, nomeado e reconduzido ao cargo por mais três vezes por Fernando Henrique, desrespeitando a vontade expressa pelos demais membros do MPU. Brindeiro ficou mais conhecido como o Engavetador ou Arquivador Geral da República.

O pouco apego a eleições democráticas por parte do PSDB também é notório nas universidades públicas. Na UFRJ, Fernando Henrique nomeou reitor o candidato que perdeu as eleições, José Vilhena, responsável por um mandato tão truculento que chegou mandar instalar uma porta de ferro em seu gabinete. Na USP, José Serra seguiu fielmente os passos de seu colega de partido, impondo na reitoria o candidato que havia perdido as eleições, José Rodas. O voto de toda uma comunidade acadêmica, professores, servidores e alunos, na lata do lixo com uma simples canetada.

Para encerrar o assunto, vale lembrar que o PT, com um governo que é avaliado como ótimo ou bom por mais de 80% dos brasileiros e que conta com maioria congressual, não fez qualquer movimento para alterar a Constituição e permitir uma nova reeleição à Presidência da República, preferindo o pleno respeito à democracia e lançando Dilma Roussef candidata, ao invés do mais carismático dos políticos do Brasil.

O PT contrariou os alarmes daqueles setores que já tentaram de tudo para enfraquecer a identificação dos eleitores com o partido, os mesmos setores que tentam desesperadamente criar intrigas às vésperas das eleições. Já o PSDB, com Fernando Henrique, fez aprovar a Emenda Constitucional da reeleição (EC 16/1997), da qual o próprio Fernando Henrique se aproveitou um ano depois, nas eleições presidenciais de 1998.

Pois é, mudaram as regras pouco antes de terminar o jogo, tal e qual a CBF em 1987.

Luanda, 26 anos, gosta de votar.

Anúncios

4 Respostas to "36. Quem tem medo de democracia?"

Caro, Mildred. Obrigado pelo comentário. Os textos aqui publicados são baseados em nossas experiências e percepções da realidade.

Para esta percepção, nos valemos de nossa experiência acadêmica e pressupostos teóricos para avaliar a economia a sociedade. Entendemos que pessoas de outras orientações podem ver o mundo de forma diferente e respeitamos.

Não sei se o senhor mora no Nordeste ou teve oportunidade de acompanhar a revolução que esta região está vivendo. Eu tive. Minha percepção é de que esta transformação vai além do assistencialismo e significa a desconcentraçaõ do eixo de desenvolvimento e das decisões de investir do empresário e do Estado. Difícil acreditar que redes como Nestlé e Wall Mart estão indo ao Nordeste atrás de Bolsa Família.

Mesmo se não fosse, respeitamos e compreendemos o voto do Norte/Nordeste. É um voto com esperança e sem preconceitos. Assim como entendemos os motivos dos votos do centro-oeste não terem sido majoritários ao PT.

Estamos muito esperançosos com as transformações em curso. Dado que haverá continuidade nos próximos 4 anos, o resto do Brasil também deveria estar.

Espero estarmos todos torcendo por um grande governo de Dilma Roussef. Inclusive o senhor.

Um abraço.

Não tenho ‘medo’ de democracia, mas sim da HIPOCRISIA praticada pelo PT que sempre se colocou contra todos os erros e falcatruas do restante dos partidos, mas praticavam atitudes similares que foram se desenvolvendo a ponto de ficaram 10 vezes pior como foi provado no governo Lula, mas, é claro, abafado pelo próprio PT, o que prova que eles é que tem realmente medo da democracia. !!! Pobre de quem escreveu este texo, iludida em seu reles cargo de ativista, como começou um dia a candidata Marina, acreditando no ideal pregado por este partido. E ainda, coitados daqueles pobres (mesmo), que moram em favelas ou em condições precárias, que votaram no PT e soltaram rojões ontem ao ser anunciada vitória da Dilma – marionete do alto escalão do PT – e que continuarão pobres,´morando em favelas recebendo R$ 30,00 reais por cada filho (que até que são muitos), e que quando chegarem na velhice se darão conta que isto não conta na aposentadoria !! Vale lembrar os locais de maior votação na Dilma foram Norte/Nordeste onde as condições de sobrevivência eram, são e continuarão sendo péssimas. Mesmo com 8 anos de governo PT.

Me admira alguém com tanta cultura e tão bem informado acreditar em tanta mentira e enganação. Que triste!

Luanda, ótimo texto!!!!
Parabéns! E dia 31 é 13, Dilma!!!

Luanda, tenho a mesma experiência positiva onde trabalho e com outros órgãos que me relaciono. Vejo o respeito aos funcionários de carreira, respeito às posições técnicas e assessores externos (não concursados) de altíssimo nível. Outros amigos de setor público comentam a mesma coisa.

E lembro MUITO do Vilhena na UFRJ sendo empossado apesar de não ter sido eleito. E suas ações truculentas.

Os comentários estão desativados.


  • Nenhum
  • João: Caro, Mildred. Obrigado pelo comentário. Os textos aqui publicados são baseados em nossas experiências e percepções da realidade. Para esta p
  • Mildred: Não tenho 'medo' de democracia, mas sim da HIPOCRISIA praticada pelo PT que sempre se colocou contra todos os erros e falcatruas do restante dos par
  • Leon Unger: Soi cineasta, o blog que inseri se refere ao filme atual que estou trabalhando. Mas con relação ao seu post, mesmo com os incentivos que existem pa
%d blogueiros gostam disto: