Porque votamos na Dilma!

31. Porque a Petrobras e a UFRJ são boas para o Brasil, e porque o PT é bom para elas. Por Julio Frigério

Posted on: outubro 25, 2010

Minhas duas experiências mais reveladoras em relacão ao projeto de governo do PT se deram na Petrobras e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). As duas são controladas pelo governo, a Petrobras parcial e majoritariamente e a UFRJ integralmente. São também instituicões que alicercam o Brasil.

A UFRJ é responsável por uma parcela considerável de nossa producão intelectual, científica e política. A Petrobras é a maior contribuidora para o nosso PIB e a empresa que apresenta o espectro de investimentos mais admirável em termos absolutos e em termos de sua variedade. Minha opinião pessoal é de que essas contribuicões só podem ser exercidas em seu mais amplo potencial se o governo em vigor enxergar nessas instituicões uma ferramenta de desenvolvimento do Brasil.

Um dos porquês que me levam a pensar assim é o fato de que o governo determinou que a Petrobras deve contratar bens e servicos com um mínimo de 66% de conteúdo nacional. Como a Petrobras tem fornecedores em vários setores da indústria e do comércio, essa regra alavancou fortemente o crescimento da indústria nacional, como a indústria naval brasileira que estava afundada e agora é responsável por inúmeros postos de trabalho e pelo desenvolvimento técnico do país.

Outro porquê é a revitalizacão da UFRJ após o início do governo Lula. Observo essa mudanca no aumento massiço da contratacão de novos professores adjuntos e substitutos; na construcão do prédio para o Instituto de Física, onde estudei, cujo projeto mantinha-se abstrato por uma década; no crescimento do número de bolsas de pesquisa; no fato de o Instituto de Física ter adquirido grau 7 na CAPES. Durante o mandato de Fernando Henrique e seu Ministro da Educacão Paulo Renato, a UFRJ estava se deteriorando, e eu tive a felicidade de entrar na faculdade no último ano deste mandato e observar as diferencas com a chegada do mandato Lula.

Um outro fato que acredito ser muito relevante em relacão à Petrobras é o de que a empresa passou doze anos sem abrir concursos para novos funcionários. Isso configurou-se num prejuízo para a empresa, que nesse tempo esteve carente de forca técnica para desenvolver suas reservas de petróleo e gás, para descobrir novas reservas, para refinar seu petróleo e distribuir seus derivados. Além do prejuízo material, ocorreu um imenso prejuízo intelectual. A indústria do petróleo se utiliza de tecnologias muito avancadas, que se preservam principalmente pelo conhecimento de seus técnicos, que devem passá-lo adiante para os funcionários mais novos. Contudo, a lacuna temporal de contratacão impossibilitou que funcionários levassem a frente a cadeia de conhecimento técnico antes de se aposentarem.

Paro por aqui para não me estender ainda mais. Esse é apenas um testemunho pessoal meu como cidadão, como estudante e como profissional.

 Um abraco e boas eleicões!

 Julio Frigerio, 27 anos, Geofísico.

Anúncios

  • Nenhum
  • João: Caro, Mildred. Obrigado pelo comentário. Os textos aqui publicados são baseados em nossas experiências e percepções da realidade. Para esta p
  • Mildred: Não tenho 'medo' de democracia, mas sim da HIPOCRISIA praticada pelo PT que sempre se colocou contra todos os erros e falcatruas do restante dos par
  • Leon Unger: Soi cineasta, o blog que inseri se refere ao filme atual que estou trabalhando. Mas con relação ao seu post, mesmo com os incentivos que existem pa
%d blogueiros gostam disto: