Porque votamos na Dilma!

8. Pq eu voto na Dilma? Por Felipe Amin Filomeno

Posted on: outubro 12, 2010

Por muito tempo, eu tive mais berço do que coração, hoje eu tenho mais coração do que berço, e é por isso que eu voto na Dilma. Por muitos anos, eu vi o mundo pelos olhos dos privilegiados. Como branco, católico, de família tradicional, morando em metro quadrado caro, era confortável pensar que a vida era um jogo num campo horizontal, onde todos tinham as mesmas chances de ganhar e onde o que eu tinha era por merecimento. Aí, claro, achava que bolsa-família era assistencialismo, que cotas nas universidades públicas eram injustas e que o Lula cometia erros de português inadmissíveis. Nessa época, uma passeata do MST passou pela frente da casa do meu avô paterno, que, pros padrões brasileiros, pode muito bem ser chamada de mansão, e ouvi ele falar mal dos que caminhavam, dizendo que “um dia eles vão invadir essa casa”. A minha vó, que, ao contrário do meu avô, não tinha nascido em família rica, respondeu que “é muito fácil falar isso quando se tem arroz e feijão no prato”.

Esse diálogo, por muito tempo, ficou esquecido na minha cabeça, até o dia em que eu vi que no meu prato faltava arroz e feijão, não em termos econômicos, mas em termos político-culturais. Me deparei com a situação de que eu eu não podia casar só por causa da minha orientação sexual, que eu era vítima de um “anti-privilégio”. Isso me ajudou a ver que não só a minha condição era de anti-privilégio, mas também a daquele que é preterido em uma entrevista de emprego só porque tem pele mais escura, daquela que recebe um salário menor só porque é mulher e também daquela enorme massa de brasileiros que, não importa o quanto trabalhem, continuarão a ser pobres a não ser que alguém os levante da pobreza. Num país em que rico paga proporcionalmente menos imposto e sonega proporcionalmente mais, riqueza é, em grande parte, privilégio e não merecimento. Do mesmo modo, pobreza não é resultado da falta de esforço de gente preguiçosa. Eu comecei a ver o mundo pelos olhos dos desprovidos (de direitos, de riqueza, de oportunidade) e isso não foi só um ato de razão, fruto do meu conhecimento como economista e sociólogo, foi ato de sensibilidade e solidariedade pessoal. A partir daí, a frase da minha avó começou a fazer todo o sentido, assim como, pra mim, faz todo sentido votar na Dilma.

Felipe Amin Filomeno, 28 anos, economista.

Anúncios

2 Respostas to "8. Pq eu voto na Dilma? Por Felipe Amin Filomeno"

Para um país laico há muito discurso sobre religião. Os políticos piraram e estão reféns dos evangélicos, ou melhor, simulacros de religiosos, ávidos por dinheiro e poder. As bancadas dos mesmos no congresso já está muito grande, e há o que temer. Fora com esta corja de fanáticos que expõem as pessoas humildes e incultas a humilhação e que são exploradas por estes canalhas que compram seu voto com oferta de uma bota ou dentadura, ou até um lugar no céu, e que depois padecem por 4 ou oito anos sob seu(deles) jugo. Os muçulmanos está chegando, cuidado evangélicos e católicos. Está chegando a vez dos ateus. Vote neles

Lindo texto! Obrigado!

Comentários encerrados.


  • João: Caro, Mildred. Obrigado pelo comentário. Os textos aqui publicados são baseados em nossas experiências e percepções da realidade. Para esta p
  • Mildred: Não tenho 'medo' de democracia, mas sim da HIPOCRISIA praticada pelo PT que sempre se colocou contra todos os erros e falcatruas do restante dos par
  • Leon Unger: Soi cineasta, o blog que inseri se refere ao filme atual que estou trabalhando. Mas con relação ao seu post, mesmo com os incentivos que existem pa
%d blogueiros gostam disto: